Esta foi a sua vida

Biblia

segunda-feira, 5 de maio de 2014

Cientista cria guarda-chuva inteligente para coletar dados sobre o clima

Cientista cria guarda-chuva inteligente para coletar dados sobre o clima Jonathan Amos Correspondente de tecnologia da BBC News, de Viena Atualizado em 4 de maio, 2014 - 10:45 (Brasília) 13:45 GMT Facebook Twitter Google+ Enviar a página Versão para impressão Guarda-chuva inteligente (Rolf Hut) Um sensor acoplado à cobertura do guarda-chuva detecta a chuva e envia os dados por redes sem fio O cientista Rolf Hut, da Universidade de Tecnologia Delft, na Holanda, tem um plano ambicioso: transformar cada guarda-chuva do mundo em uma pequena estação meteorológica. E ele já tem um protótipo. Seu invento usa um pequeno sensor que detecta gotas de chuva que caem sobre o tecido do guarda-chuva e envia informações por bluetooth, um tipo de rede sem fio, para um celular, que por sua vez transmite os dados para um computador. Notícias relacionadas Cientistas britânicos criam bolhas que carregam imagens e cheiros De olho em jovens, Igreja celebra canonização high-tech Isaac Asimov estava certo: as previsões do escritor para 2014 que viraram realidade Tópicos relacionados Tecnologia, Ciência e Tecnologia, Ciência, Meio Ambiente Na visão de Hut, milhares desses equipamentos em ação trariam melhorias significativas para a medição do clima. "Hoje usamos satélites e radares, mas não medimos a chuva conforme ela atinge o solo, como costumávamos fazer. É muito caro manter um aparelho de medição tradicional", disse o pesquisador à BBC. "Por isso, o número desses aparelhos em uso por agências meteorológicas está caindo, e isso é um problema no gerenciamento de recursos hídricos ou para a pesquisa hidrológica porque não há mais como ter em mão dados suficientes como antes." Resultados animadores Hut exibiu seu protótipo de guarda-chuva inteligente na assembleia geral da União Europeia de Geociências, em Viena, na Áustria. O sensor acoplado à cobertura do guarda-chuva mede a vibração gerada pelas gotas dágua. O sensor fica conectado a um aparelho que transmite sinais por bluetooth para um programa instalado no celular, que envia a informação para um laptop. Segundo Hut, os resultados dos testes feitos em seu laboratório e no quintal de sua casa foram animadores e indicam que vale a pena seguir desenvolvendo a ideia. "Alguma dia, todo guarda-chuva viria com esse tipo de tecnologia, ou o modelos mais caros ao menos. Para começar a enviar dados, bastaria abrir o guarda-chuva", diz o cientista. "Teríamos assim centenas de medidores circulando por uma cidade, o que melhoraria muito nossa habilidade para compreender a hidrologia urbana e nossa capacidade de prever inundações e tomar medidas quando houver uma situação crítica." Para-brisa inteligente Outros grupos de cientistas vem investigando abordagens similares com para-brisas inteligentes que acionam automaticamente os limpadores de um carro quando detecta chuva e ajustam sua velocidade conforme a intensidade da chuva. Uma análise feita pelo cientista Chris Kidd, da Nasa, revelou que o número de medidores de chuva em uso atualmente é pequeno e eles dificilmente fornecem dados em tempo real. Além disso, Kidd explica que as informações produzidas por satélites e radares devem ser complementadas com os dados coletados no solo: "Precisamos encontrar formas de melhorar isso. Há um projeto interessante em Sahel, na África, em que estão pagando fazendeiros pela coleta de dados e pela manutenção dos medidores. Assim, eles têm incentivos para manter tudo em bom funcionamento."