Esta foi a sua vida

Biblia

sábado, 30 de abril de 2011

Ditadura Eclesiastica



Ditadura Eclesiastica

  • Vivemos uma ditadura protestante onde ele se reunem e resolvem quem vai administrar nossos dizimos e ofertas. Precisamos de um choque de ordem como na idade média.
  • A fé está sendo negociado e, depois, de convertido a uma igreja vc vive uma verdadeira ditadura onde um responde todos sem dar satisfação.
  • Precisamos ser cristão cidadão. É preciso transparência nos salarios de funcionarios e Pr. e negocios e compras da igreja. Fazemos nossas ofertas e dizimos e não somos participantes na gerência dos bens.
  • Onde os pastores estão comprando fezendas, chacaras, apartamentos, investindo nos seus familiares, complô entre eles, panelinhas, a ditadura Eclesiástica é a pior que tem, nepotismo, monarquia eclesiástica, quando você vê uma pessoa dirigindo o culto ou é o proprio pastor ou irmão dele ou sobrinho ou cunhado ou genro e por aí vai, os demais obreiros ficam calados e zé finim etc. Quando o pastor presidente passa para o Senhor/morre quem a sume é um .desses personagem citado
  • E olha lá que sou pastor, mas não coaduno e nem participo dessas divisões de bens com dinheiro dos irmão...

História da Música Gospel


História da Música Gospel
Pr. Ayjalon da Silva
Este artigo apresenta o surgimento do Gospel. Hoje a musica Gospel engloba varias influências. Mesmo com diferenças entre estilos de Gospel, a essência e a intenção devem permanecer a mesma.
Apesar da Origem Norte Americana, há diversos aspectos na historia da música Gospel semelhantes com a musica do Brasil. A Cultura Brasileira teve diferentes rumos, porém constam de mesma origem e formas. A religião empregada desde a colonização do Brasil. A Predominância da Igreja Católica era maior devido aos colonos Portugueses e Espanhóis.
Foi eficaz na disseminação da cultura escrava e nativa, talvez pela experiência mais antiga na conquista de outros territórios. Interessante observar que outras religiões europeias, como a Católica, acabaram ajustando seus ritos e formas de pregação – principalmente na musica e na participação da congregação - com base na revolução que a Igreja Gospel Americana conquistou, com muita luta, na primeira metade do século XX.
 





“Boas Notícias”
A palavra Gospel em resumo significa: “Boas Noticias”. O Gospel é mencionado no Novo e Velho Testamento. Apesar de simples, tem significado profundo; são os anúncios que Deus nos proporciona para seguirmos nosso caminho através da fé e sabedoria divina. “O remédio de Deus” entre outros significados. Muitas outras interpretações podem ser formuladas dentro do conceito de “Boa Notícia”. Fato de discussão entre os pastores até hoje. Em exemplo da complexidade da palavra esta a afirmação do Diácono Whrite a respeito: “Jesus era uma boa noticia ao mesmo tempo em que ela a trazia para os que necessitavam”.
A Música Gospel que conhecemos hoje é uma forma de música com profundas raízes na tradição dos escravos Afro-Americanos assim como nas musicas Africanas tradicionais. Suas fundações vieram dentro de um enorme choque cultural que, de uma maneira sofrida porem criativa, agregou a cultura Africana com as tradições Européias.

Os escravos e as Origens do Gospel.
 

Escolha dos escravos, Jacques Bnoit, 1839


O intenso tráfico de escravos que povoou o continente Americano, não trouxe apenas mão-de-obra; também trouxe uma nova e rica cultura, que veio moldar a sociedade e a historia da América, resultando, dentre outros aspectos, diversas formas de musica como o jazz, Blues e o Gospel.
Os escravos vinham de diversas partes da África, especialmente de três áreas: A primeira, era a Costa do Marfim, ocupados hoje pelo Senegal, Guiné e etc. Esta área era fortemente influenciada pela região islâmica. Musicalmente caracterizada pela presença de longas linhas melódicas, cantos ornamentados e instrumentos de corda. A segunda área era a floresta tropical; região hoje dos paises Ganza e Nigéria. Esta trouxe ritmos complexos e instrumentos grandes de percussão. A terceira é o Congo, região da Angola, que é caracterizada pela música vocal polifônica separada em solista e grupo vocal.
Cada um destes componentes trazia mais do que música. Dança, canto e dramatização eram parte na cultura e crenças Africanas. Lá havia uma música apropriada para cada momento das atividades tanto em sociedade quanto individual. Uma das formas mais importantes eram os Ritmos. O uso da percussão era também uma forma de comunicação entre diferentes vilarejos e usada em performances ritualísticas de celebração junto da dança e do canto. A música Africana é caracterizada por complexos póli-rítmos (dois ou mais ritmos diferentes, quando sobrepostos criam uma única batida musical) com uma batida forte. Diferente da música ocidental que é dividida em compassos rítmicos, esta segue um sistema aonde os ritmos vão sendo improvisados e alterados.
O conjunto destas características musicais provia bases para a criação de Coro e acompanhamento, conceito de cantor Solista e o estilo cativante, dançante e empolgante incorporadas na música Gospel. Um forte exemplo esta numas das principais características da musica africana onde se encontrava um improviso melódico e textual entre o coro e o solista. O solista canta uma frase que é repetida ou respondida pelo grupo; freqüentemente o grupo era apoiado por comentários em voz alta vindos da audiência.
A Religião Ocidental e o Spirituals
Houve muitas tentativas dedestruir a cultura dos escravos, misturando tribos e introduzindo os escravos a uma nova cultura. As maiorias dos escravos foram levados para todo centro e sul dos Estados Unidos para trabalharem, entre outras atividades, nas plantações. O escravo não trazia nada para o novo continente exceto suas lembranças. Uma das únicas coisas que todos os escravos tinha em comum eram a música. A principio, os escravos eram proibidos de praticar suas músicas ou tocar instrumentos de percussão. Eles o faziam em segredo, escondidos durante a noite, após trabalhar na plantação, ou longe dos ouvidos dos seus donos.
 

Negros cantando na colheita de algodão, 1885