Esta foi a sua vida

Biblia

domingo, 25 de dezembro de 2011

“O Sudário e Turim é autêntico” dizem cientistas italianos

Exames comprovariam que as marcas não poderiam ter sido forjadas com a tecnologia disponível na época medieval

“O Sudário e Turim é autêntico” dizem cientistas italianos
O jornal The Telegraph, um dos mais conceituados da Inglaterra, publicou uma extensa matéria sobre o Santo Sudário. Recentemente, cientistas italianos fizeram uma série de experimentos avançados nas marcas do tecido, presumivelmente deixadas pelo corpo de Cristo.
Esses exames comprovariam que as marcas não poderiam ter sido forjadas com a tecnologia disponível na época medieval. Logo, não há como negar sua autenticidade.
Ao longo dos anos, os céticos têm sustentado que o sudário é uma falsificação medieval, e testes de radiocarbono realizadas por laboratórios em Oxford, Zurique e Arizona, em 1988, apontam para a teoria de datação entre 1260 e 1390.
Contudo, os especialistas da Agência Nacional para Novas Tecnologias, Energia e Desenvolvimento Sustentável dizem que, para conseguir a nuance, a textura e a profundidade exatas da imagem no pano, seria necessário um laser ultravioleta, algo que obviamente os medievais não conheciam.
Conforme os escritores Bruno Barberis e Massimo Bocaletti, especialistas no assunto, existem três níveis de “autenticidade” do Sudário. No primeiro nível, admite-se que a imagem foi realmente produzida por um cadáver humano e por meios naturais. No segundo nível, admite-se que o lençol seja efetivamente uma mortalha do século I que envolveu um cadáver, mas não necessariamente o de Jesus Cristo.
No terceiro nível de autenticidade, admite-se que o Sudário é realmente a mortalha mencionada nos Evangelhos e que envolveu o corpo de Cristo após sua morte na cruz. A ciência não tem como atestar o terceiro nível de autenticidade; no máximo, consegue chegar até o segundo nível.
As conclusões mais famosas são do Projeto de Pesquisa do Sudário de Torino (Sturp), que reuniu dezenas de pesquisadores de várias áreas. A conclusão do Projeto é que a imagem não foi feita com pigmentos, nem teria sido obra de um artista. Na verdade, a imagem não tem  explicação científica. Mais de 30 anos depois do encerramento das pesquisas do Sturp, o mistério continua.
O jornalista Tom Chivers, do Telegraph afirma que a “datação por carbono 14 atestou a origem medieval do Sudário”. Um pesquisador do laboratório de Oxford que fez os testes nos anos 1980, defende os resultados da datação e explica por que as hipóteses que desqualificam o teste estariam erradas.
Ao comentar a possibilidade de a amostra ser de um dos vários remendos feitos no Sudário, Christopher Ramsey afirma que “a maioria de nós concorda que isso não é plausível”.
O caso está longe de ser encerrado. É preciso um novo Sturp? A tecnologia avançou muito nos últimos anos, mas o acesso ao Sudário é restrito  e controlado pela Igreja Católica, que não precisa de comprovações científicas para crer. O presidente do Centro Sindonológico do Brasil, José Humberto Resende, não concorda com novas rodadas de testes.
“Todas as vezes que o Sudário foi submetido a exames, alguém, por ato criminoso, tentou destruí-lo, como aconteceu no incêndio de 1997. Acho que só se deveríamos submetê-lo a novo exame quando tivéssemos um teste que fosse 100% infalível. Do contrário, é melhor esperar a vontade de Deus”, argumenta.
Como essa tecnologia ainda não existe, parece que epígrafe do livro de Barberis e Boccaletti continua atual: “o Sudário não teme o exame; teme apenas não ser examinado”.

sábado, 24 de dezembro de 2011

Em Belém da Judéia

24 de Dezembro
"Em Belém da Judéia, responderam eles, porque assim está escrito por intermédio do profeta." Mateus 2.5
Nesses dias de Natal, tem-se a impressão de que milhões de pessoas crêem firmemente no cumprimento da profecia bíblica que fala da primeira vinda de Jesus. Mas é interessante observar que essas mesmas pessoas têm dificuldades em crer que hoje, em nossos dias, se cumprem profecias feitas por Deus! É verdade que muitos crêem na Palavra de Deus, mas não crêem no seu cumprimento. A História se repete: por ocasião do nascimento de Jesus, os sumo sacerdotes e escribas criam com fidelidade ferrenha na Palavra de Deus e em seu cumprimento, e até a citaram para responder prontamente quando Herodes timidamente lhes perguntou onde Jesus deveria nascer. "Em Belém da Judéia", disseram eles. Mas, por outro lado, se negavam a crer que esta promessa poderia estar se cumprindo bem naquele instante. Um exemplo bem oposto são os sábios do Oriente, que não conheciam as Escrituras, porém viram a luz, e, com toda a certeza em seus corações, seguiram a estrela, e, chegando finalmente em Jerusalém, perguntaram: "Onde está o recém-nascido Rei dos judeus? porque vimos a sua estrela no Oriente." Os crentes daquela época criam nas Escrituras, mas não criam no seu cumprimento; os gentios ignorantes, pelo contrário, tinham a luz, creram nela, seguiram-na e encontraram Jesus! Assim aconteceu na primeira vinda de Jesus, e acontece ainda hoje: "...muitos primeiros serão últimos: e os últimos, primeiros."

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Cientistas desvendam profecia maia do 'fim do mundo em 2012'

Atualizado em  1 de dezembro, 2011 - 10:16 (Brasília) 12:16 GMT
Túmulo maia (Foto: BBC)
Para especialistas, maias não previram o fim do mundo
Arqueólogos de diversos países se reuniram no Estado de Chiapas, uma área repleta de ruínas maias no sul do México, para discutir a teoria apocalíptica de que essa antiga civilização previra o fim do mundo em 2012.
A teoria, amplamente conhecida no país e contada aos visitantes tanto no México como na Guatemala, Belize e outras áreas onde os maias também se estabeleceram, teve sua origem no monumento nº 6 do sítio arqueológico de Tortuguero e em um ladrilho com hieróglifos localizado em Comalcalco, ambos centros cerimoniais em Tabasco, no sudeste do país.

Até então, as mensagens gravadas em "estelas" – monumentos líticos, feitos em um único bloco de pedra, contendo inscrições sobre a história e a mitologia maias – eram interpretadas como uma profecia maia sobre o fim do mundo.O primeiro faz alusão a um evento místico que ocorreria no dia 21 de dezembro de 2012, durante o solstício do inverno, quando Bahlam Ajaw, um antigo governante do lugar, se encontra com Bolon Yokte´, um dos deuses que, na mitologia maia, participaram do início da era atual.
Entretanto, segundo o Instituto Nacional de Antropologia e História (Inah), uma revisão das estelas pré-hispânicas indica que, na verdade, nessa data de dezembro do ano que vem os maias esperavam simplesmente o regresso de Bolon Yokte´.
"(Os maias) nunca disseram que haveria uma grande tragédia ou o fim do mundo em 2012", disse à BBC o pesquisador Rodrigo Liendo, do Instituto de Pesquisas Antropológicas da Universidade Autônoma do México (Unam).
"Essa visão apocalíptica é algo que nos caracteriza, ocidentais. Não é uma filosofia dos maias."

Novas interpretações

Durante o encontro realizado em Palenque, que abriga uma das mais impressionantes ruínas maias de toda a região, o pesquisador Sven Gronemeyer, da Universidade australiana de Trobe, e sua colega Bárbara Macleod fizeram uma nova interpretação do 6º monumento de Tortuguero.
Para eles, os hieróglifos inscritos na estela se referem à culminação dos 13 baktunes, os ciclos com que os maias mediam o tempo. Cada um deles era composto por 400 anos.
"A medição do tempo dos maias era muito completa", explica Gronemeyer. "Eles faziam referência a eventos no futuro e no passado, e há datas que são projetadas para centenas, milhares de anos no futuro", afirma.
A escritora Laura Castellanos posa com seu livro (Foto: BBC)
Castellanos: profecias apocalípticas revelam mais sobre nós que sobre maias
Para a jornalista Laura Castellanos, autora do livro 2012, Las Profecias del Fin del Mundo, o sucesso da teoria apocalíptica junto à cultura ocidental se deve a uma "onda milenarista" que, segundo ela, "antecipa catástrofes ou outros acontecimentos cada vez que se completam dez séculos".
Para Castellanos, esse tipo de efeméride é reforçada por uma "crise ideológica, religiosa e social".
Ela observa que as profecias sobre 2012 não têm somente uma "vertente catastrófica", mas também uma linha que "prognostica o despertar da consciência e o renascimento de uma nova humanidade, mais equitativa".

Crença no final

A asséptica explicação científica e histórica vai de encontro à crença popular no México, um país onde há quem procure adquirir os conhecimentos necessários para sobreviver com seu próprio cultivo de alimentos em caso de uma catástrofe mundial.
Muitos dos que vivem fora procuram regressar ao país porque sentem que precisam estar em casa em 2012, e há empresas que oferecem espaço em bunkeres subterrâneos, com todas as comodidades.
Afinal, o possível fim do mundo também é negócio. O próprio governo mexicano lançou uma campanha para promover o turismo no sudeste do país, onde estão localizados os sítios arqueológicos maias.
Muitos governos dos Estados onde existem ruínas da antiga civilização maia já estão registrando aumento na chegada de turistas.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Billy Hyatt diz que foi demitido por que ele se recusou a usar o número 666. (Foto: Reprodução/WSBTV)Billy Hyatt diz que foi demitido por que ele se recusou a usar o número 666. (Foto: Reprodução/WSBTV)

23/11/2011 07h00 - Atualizado em 23/11/2011 07h00

Americano diz que foi demitido por ter se recusado a usar o número 666

Segundo crença, número representa o diabo.
Billy Hyatt entrou com um processo contra a empresa.

Do G1, em São Paulo
1 comentário
Um operário de uma fábrica em Dalton, no estado da Geórgia (EUA), diz que foi demitido por ter se recusado a usar o número 666, que, segundo a crença, é um símbolo que representa o diabo, de acordo com reportagem da emissora "WBSTV".
Billy Hyatt entrou com um processo contra a empresa, alegando que seus direitos religiosos foram violados quando um gerente tentou forçá-lo a usar um adesivo com o número 666. Hyatt disse que sua fé o proíbe de usar o que ele chama de a "marca da besta".

terça-feira, 25 de outubro de 2011

População mundial atingirá 7 bilhões no dia 31 de outubro, diz ONU

Atualizado em  25 de outubro, 2011 - 12:40 (Brasília) 14:40 GMT

Bebê em Zâmbia (BBC)
Até 2050, a população mundial deve chegar a 9,3 bilhões
A população mundial está crescendo em uma velocidade jamais vista e vai chegar a 7 bilhões no dia 31 de outubro, segundo a ONU.
Em 2050, este número deve alcançar 9,3 bilhões.
Alguns dos fatores que contribuem para o rápido aumento populacional são a alta taxa de natalidade em alguns países e a maior longevidade da população. Hoje, 893 milhões de pessoas tem mais de 60 anos.
Até a metade deste século, segundo a ONU, este número vai praticamente triplicar, chegando a 2,4 bilhões.
A expectativa de vida média atual é de 68 anos, quando era de apenas 48 anos em 1950.

População envelhecida

Na Grã-Bretanha, o número de pessoas com mais de 85 anos mais do que dobrou entre 1985 e 2010 para 1,4 milhão, enquanto o percentual de pessoas com menos de 16 anos caiu de 21% para 19% no mesmo período, segundo estatísticas oficiais.
Helen Moores (BBC)
Aos 85 anos, Helen Moores atribui longevidade a vida ativa
Aos 85 anos, Helen Moores representa esta faixa da população britânica que está crescendo. Ela vive sozinha em Londres e atribui a longevidade a uma vida ativa e de muito trabalho.
"Eu me alistei no Exército aos 17 anos e servi por 12 anos em diversos países: Cingapura, Hong Kong, Egito e Chipre, onde conheci meu marido, 42 anos atrás", conta ela.
Moores diz que hoje tem uma vida confortável, mas teme que seus netos não tenham tanta sorte. Com a população trabalhando cada vez mais antes de se aposentar, ela acha que há menos oportunidades para jovens saindo da universidade.
"Eu me preocupo com eles. Não sei se vai haver empregos suficientes."

Baby boom

Já na Zâmbia, no sul da África, a grande questão para o governo é o altíssimo número de nascimentos. Com uma população de 13 milhões de pessoas, as estimativas são de que esse número triplique até 2050 e chegue a 100 milhões até o fim do século, fazendo com que o país tenha uma das populações mais crescem no planeta.
Robert Phiri e os filhos (BBC)
Zâmbia tem uma das populações que crescem mais rapidamente no mundo
Enquanto a fertilidade global caiu de cinco para 2,5 crianças desde 1950, as mulheres de Zâmbia tem seis filhos, em média.
Este também era o número de crianças que Robert e Catherine Phiri, de Lusaka, queriam ter, mas após o nascimento do terceiro bebê, eles não sabem se terão condições de criar mais filhos.
Robert trabalha como agricultor e ganha menos que o salário mínimo.
"É difícil comprar roupas. Todo o dinheiro é usado em comida. Compramos coisas usadas quando podemos", diz Catherine.
Ainda assim, a família tem grandes expectativas para os filhos, incluindo uma menina recém-nascida, que ainda não tem nome.
"Quando ela crescer, quero que ela vá para a escola e universidade para nos ajudar. Temos tão pouco dinheiro e nos preocupamos com o futuro", afirma Robert.
Segundo a ONU, que divulga nesta quarta-feira um relatório sobre o Estado da População Mundial, é preciso mais planejamento e investimento nas pessoas para lidar com a crescente população mundial e suas consequências - a necessidade por mais alimentos, água e energia e a maior produção de lixo e poluição.
"Permitindo que as pessoas melhores suas próprias vidas, podemos apoiar cidades sustentáveis, que sirvam como catalisadoras para o progresso, forças de trabalho produtivas que estimulem o crescimento econômico, populações jovens que contribuam para o bem-estar das economias e sociedades, e uma geração de pessoas idosas saudáveis, que estejam ativamente envolvidas nas questões sociais e econômicas de suas comunidades."

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

LAURIETE SEPAROU DO ESPOSO

A CANTORA LAURIETE SEPAROU DO ESPOSO, VEJA NO LINK A SEGUI - http://laurietenews.blogspot.com/2011/10/lauriete-separou-se-do-marido-reginaldo.html?utm_source=twitterfeed&utm_medium=twitter

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Profissão de Teologo

É uma profissão reconhecida. Não é preciso regulamentação para que uma profissão exista, ou seja, reconhecida. Profissões são criadas pelo seu simples exercício. Regulamentar nada mais é do que detalhar, via uma lei federal, o significado do artigo 5°, inciso XIII, da constituição, o qual define que todo o exercício profissional é livre no Brasil, mas que, se for do interesse da sociedade, limites a esta liberdade podem ser estabelecidos por meio de lei aprovada no Congresso Nacional. No caso do teólogo, é esperado que tenha formação superior de teologia; não é incomum, porém, a presença de títulos de pós-graduação ou cursos equivalentes. Ascender a níveis superiores de estudos pode facilitar também, a progressão das outras duas ocupações na área eclesiástica. Qualquer que seja a tradição religiosa, contudo, tanto ou mais que a formação, contam a fé e o chamamento individual para o serviço divino.
O QUE É UM TEÓLOGO?
A imagem que algumas pessoas fazem de um teólogo é de alguém que está constantemente enclausurado no último aposento de uma casa, às voltas com obras raras, escritas em dialetos desconhecidos do grande público ou com livros pesados e grossos. Mas, na verdade, um teólogo é uma pessoa bem mais próxima de nós do que pensamos. Ele presta serviços de consultoria a escritores, por exemplo, que estejam usando a religião para contar alguma história ou fornece orientação a grupos religiosos em geral, principalmente organizações não governamental. Outra confusão que é feita com freqüência: um padre ou um pastor pode ser um teólogo, mas uni teólogo nem sempre é um religioso. Podemos encontrar um teólogo dando aulas em cursos universitários da área de ciências sociais, como Letras, Antropologia, Sociologia. Aliás, é cada vez maior nos meios acadêmicos a intertextualidade entre as disciplinas. E em relação à teologia isso é sentido de forma evidente. Trata-se de um fenômeno recente a redescoberta da leitura teológica do mundo nas áreas de ensino voltadas para o conhecimento do comportamento humano em geral.
O QUE UM TEÓLOGO ESTUDA?
Basicamente o teólogo formado estuda e analisa as diversas religiões do mundo e sua influência sobre o homem do ponto de vista antropológico e sociológico. Sua principal fonte de pesquisa são os textos sagrados e as doutrinas e dogmas religiosos. Com isso procura explicar de que forma as crenças, com o decorrer do tempo e da história modificam ou eternizam as maneiras do homem interagir na sociedade. Nos cursos de teologia, a grade curricular varia de instituição para instituição.Algumas dão maior importância à análise das religiões em si, enquanto outras se debruçam mais sobre ' os textos sagrados. De qualquer forma, um estudante de teologia - o futuro teólogo - deverá ler muito e participar de muitos debates em sala de aula sobre as bases e a história das religiões.
O QUE QUER UM TEÓLOGO?
Um teólogo procura a tempo e a hora tornar a religião em um saber racional, no caso, um saber chamado teologia (estudo de Deus: teo - Deus; logia = estudo).Sua atitude diante da religiosidade é quase sempre objetiva, urna vez que a religião em si, e 'mais precisamente a fé, tem caráter subjetivo. Uma coisa é termos fé, outra é estudarmos os fenômenos da fé. Para o primeiro caso, basta crer, acreditar num dogma ou numa doutrina como verdade a ser vivida. No outro, esta mesma fé será interpretada, relativisada e, conseqüentemente, racionalizada.O teólogo, então, é aquele que deseja ser os olhos da razão dentro de uma experiência que normalmente só pode ser vivida sem questionamentos, ou seja, na fé, que não questiona, não interroga, apenas crê.Por isso nada impede que um teólogo venha a ser um religioso fervoroso ou uma pessoa completamente descrente de Deus. Uma coisa não impede a outra. No exercício ou não da fé, crente ou descrente. No exercício da profissão, teólogo sempre.
QUEM PODE ASSOCIAR-SE AO CFT?
Existem três categorias de associados:
*Teólogos*Estudantes*Estagiário
BENEFÍCIOS DOS ASSOCIADOS AO CFT:
Representante junto aos poderes Federais (CFT), estaduais e municipais; nos assuntos de interesse da classe e no direito à sua garantia legal e profissional;o orgulho e o direito de dizer: "Eu sou teólogo", garantido pêlos registros no CFT e CRT do seu Estado e demonstrado pelo certificado e carteira de identificação de teólogo, emitidos pelo CFT.
INFORMAÇÕES JURÍDICAS E FUNCIONAIS
PROJETO DE LEI N° 4922 / 2005 ( DEP. JOSÉ DIVINO )PLS - SENADO FEDERAL 114/2005 E 131041/2005 (SENADOR MARCELO CRIVELLA )O Congresso Nacional Decreta: Art. 1°: O exercício da profissão de teólogo é regulamentado pela presente lei, através do regime interno e a criação das normas de diretrizes para o exercício profissional.
FUNCIONAMENTO (RESOLUÇÃO N° 01 DE 14/12/2003) Art 1°
Ficam criados o Conselho Federal e os Conselhos Regionais de Teologia, com a finalidade de orientar, disciplinar e fiscalizar o exercício da profissão de teólogo definida na lei 5.773 de 09/05/2006. Esta Entidade tem a denominação Social de: Conselho Federal de Teólogos do Brasil e sua sigla é CFT, como Entidade civil de direito privado, como pessoa jurídica e distinta de seus associados ou filiados, terá âmbito nacional, com sede no centro, Estado do Rio de Janeiro, podendo abrir e instalar seção ou sucursal em qualquer outro Estado, mediante ata de assembléia ou termo social pela diretoria nacional superior jurisdicional, conforme a lei 6.015/73.
EXERCÍCIO PROFISSIONAL
O livre exercício da profissão de teólogo em todo o território nacional, somente é permitido ao portador da carteira de identidade de profissional expedida pelo Conselho Regional competente;É obrigatório o registro nos Conselhos Regionais, das empresas cujas finalidades estejam ligadas à teologia, na forma estabelecida em regulamento.A habilitação e a admissão dos professores de ensino religioso vinculam-se a apresentação darespectiva carteira de identidade profissional de teólogo, expedida pelo Conselho Regional Competente.Para o exercício da profissão na administração pública, ou exercício de cargo, função ou emprego em empresas públicas e privadas, de assessoria, chefia ou direção, será exigida como condição essencial a apresentação da comprovação do registro no CFT.
RECONHECIMENTO DE DIPLOMAS
Decreto lei n° 1051, desde 1969, concedeu respaldo para formar os Bacharéis em teologia.Em um universo, 935 instituições teológicas foram formadas em torno de 750.000 Bacharéis em teologia no país (IBGE, ano 2000). O próprio MEC, em reconhecimento a este universo de profissionais no mercado, deu respaldo através do parecer 0063 / 2004, que reconhece o teólogo com nível superior, aproveitando 80% de matérias cursadas, sendo assim, o próprio MEC demonstra que o decreto lei 1051 tem o seu valor.Através do CFT são cadastrados todos os teólogos que já possuem o direito adquirido. Como conta na constituição Federal, não existe nenhuma lei proibindo o reconhecimento daqueles que se formaram em teologia no CFT, ao contrário, todas as autarquias que foram criadas no país reconhecem os profissionais que atuavam na área a mais de 05 anos e com o CFT não será diferente.Art. 2° - Nossa História; 1953 - A jurisprudência do Conselho Federal de Educação, tem sido no sentido de declarar-lhes, a equivalência, de acordo com regras amplas e flexíveis; É o que se depreende da leitura da Lei 1.821 / 53, do Decreto 34.330 / 53, dos pareceres do CFE n° 279 / 64 -(Doc.31, p.69), n° 884 / 65 (Doc.92, p.60) e n° 3.174 / 77 (Doc.204, p. 1 7), dentre outros.
*1969- DECRETO 1051 - Autoriza a validação dos estudos, "aos portadores de diploma de cursos realizados em Seminários Maiores, Faculdades Teológicas ou Instituições equivalentes de qualquer confissão religiosa".(Art.l ° ")".- Parágrafo único, do art. 7°, da Lei 5.692 / 71, coloca o Ensino Religioso como disciplina facultativa para os alunos do 1° e 2° graus, dos estabelecimentos oficiais (rede pública de ensino), devendo estas unidades de ensino, obrigatoriamente, fazer constar na grade curricular dos alunos, as cargas horárias dos referidos cursos. Tal lei está respaldada e enfatizada pelo art. 210 parágrafo 1° da Constituição Brasileira.*1996- Quem se formou em teologia, tem nível superior. Como não poderia deixar de ser, a regra constitucional analisada se aplica às atividades de ensino superior. O artigo 43 da Lei n° 9394 / 96, (Lei de Diretrizes e Bases da Educação), apresenta os seguintes objetivos da educação superior:Inciso 1 1 : Aptos para inserção em setores profissionais; Inciso V: Aperfeiçoamento cultural e profissional; Inciso VI : Prestar serviços especializados.*1997- As Portarias n° 640 / 97 (credenciamento institucional) e 641 / 97(autoriz. Cursos).*1999- Parecer n° CÊS 1.070 / 99 de lavra do Conselho Nacional de Educação. Pareceres 241-765 / 99 do MEC.*2001- O Decreto Regulamentador da referida Lei de Diretrizes e Bases da Educação e dos pareceres, 241-765 / 99 do MEC, de igual forma ao ensino superior, é o Decreto n° 3.860, de 9 de julho de 2001. No que tange ao ensino superior do Decreto citado acima, é de singular clareza ao exigir, para as instituições de ensino superior já credenciadas como tal Verbum ad verbo:Art.l3.A criação de cursos superiores em instituições credenciadas como faculdades integradas, faculdades, institutos superiores ou escolas superiores, depende de prévia autorização do Poder Executivo. As Portarias n° 640/97(credenciamento institucional) e 641/97(autorização de cursos), que determinam os critérios, todos de índole objetiva, deste credenciamento e autorização. Conforme parecer n° CÊS l .070/99 de lavra do Conselho Nacional de Educação.*2003- SAJ n° 2526 / 2003 - "De fato, necessário explicitar que a lei que instituiu os Conselhos Federais e Regionais de Teologia e regulamentou seus funcionamentos é datada de 09 de julho de 2001 e, portanto, posterior a lei n° 9.475, de 22 de julho de 1997. Desta forma, a partir da data de publicação da -lei n° 3.860, de 09 de julho de 2001, o livre exercício da profissão de Teólogo vincula-se ao efetivo registro nos Conselhos Regionais".

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Muçulmanos estão se convertendo ao Senhor Jesus


Uma revista da Califórnia publicou recentemente os resultados de uma pesquisa com mais de 600 ex-muçulmanos, que agora seguem Jesus. “Embora os sonhos pareçam desempenhar um papel menor na conversão dos ocidentais, mais de um quarto dos entrevistados ex-muçulmanos enfaticamente confirmam que os sonhos e visões desempenharam um papel vital em sua conversão, e os ajudou em momentos difíceis”, o levantamento afirmou.
Outros têm encontrado o percentual mais elevado. Karel Sanders, um missionário na África do Sul, informou que entre Africanos muçulmanos, “42% dos novos crentes vem a Cristo através de visões, sonhos, aparições angelicais e ouvir a voz de Deus.” De acordo com o site “Sexta-Feira Dawn Fax”, que se concentra em relatórios missionários de língua árabe, moderadores explicam experiências sobrenaturais, tais como sonhos, visões e curas através da oração de Jesus. “Este é um tema quente em nossa região. Pessoas de todo o Oriente Médio nos chamam, dizendo como eles foram curados através da oração em nome de Jesus”, citam os missionários. “Ouvintes muçulmanos costumam nos falar sobre sonhos e visões de Jesus, querendo saber o que isso significa para eles.”
O mesmo é contado em “I Dared to call him Father (Me atrevi a chamá-lo de pai)”, um livro fascinante, escrito por uma rica mulher ex-muçulmana paquistanesa chamada Bilquis Sheikh, que veio a Cristo através de uma série de acontecimentos místicos – começando com a presença do mal, que ela sentia, e era ligado ao assassinato recente de um cristão perseguido.
“A estranha sensação espinhosa cresceu dentro de mim enquanto eu caminhava lentamente ao longo dos caminhos de cascalho do meu jardim”, ela escreveu em um livro que acaba de ser relançado. “Eu parei de andar e olhei em volta. Como eu me inclinei para agarrar as hastes verdes, algo passou por minha cabeça, eu me endireitei, atenta. Senti uma névoa… Um frio, úmido. Uma presença profana – tinha flutuado por mim. Claro que não havia nada lá fora. Estaria lá? Como que em resposta, eu senti uma presença, muito real e misteriosa e um toque em minha mão direita.”
Esta experiência levou a uma série de sonhos que – como tantos outros – culminou na conversão da mulher muçulmana. São tais sonhos mais recorrentes agora – com a situação do mundo como ele é? Ou será que eles sempre ocorreram?
Sabemos que os sonhos podem ser importantes. Nós lembramos de Abraão. Nós lembramos de José, o pai de Jesus.
Mas eles também são cruciais no nosso próprio tempo e, no caso da mulher rica, cujo marido tinha sido um general e ministro do Paquistão, eles formaram uma parte importante de sua conversão – se não o mais importante papel. Conforme ela explica neste livro bem escrito (que foi publicado pela primeira vez em 1978), ela havia sido criada na fé muçulmana, que acreditava que, embora Jesus tenha nascido de uma virgem, ele não era o Filho de Deus. Ainda assim, a mulher sentiu-se impulsionada para explorar a Bíblia – e é aí que tudo começou.
Em um sonho, relatou Sheikh, “eu me encontrei jantando com um homem que eu sabia ser Jesus. Ele veio me visitar na minha casa e ficou por dois dias. Ele sentou-se sobre a minha mesa e em paz e alegria jantamos juntos”.
“De repente, o sonho mudou. Agora eu estava no topo de uma montanha com outro homem, João Batista. Ele estava vestido com uma túnica e calçado com sandálias. Como foi que eu misteriosamente sabia seu nome, também? Eu encontrei-me contando a João Batista sobre as minhas visitas recentes com Jesus”. O sonho – peculiar – a levou à pergunta que todos que poderiam saber responder (porque até aquele momento, Sheikh ainda não havia chegado ao trecho em que João Batista aparece na história) em sua leitura da Bíblia.
Ela se tornou uma cristã. Então, temos milhares de outros. Os relatórios incluíram moradores em lugares como Marrocos. Ouvimos pela primeira vez sobre isso no início de 1990.
“Um seguidor de Jesus da Guiné fala sobre uma pessoa de branco que lhe apareceu em sonho, chamando-o de braços abertos”, afirma a publicação da Califórnia.”Esse tipo de sonho, no qual Cristo aparece como uma figura de branco, é um padrão freqüente na obra missionária entre os muçulmanos.”
Os exemplos são numerosos. Um muçulmano da Malásia viu seus pais falecidos como convertidos aos cristianismo em um sonho, comemorando no céu. Jesus, com uma túnica branca, lhe disse: “Se você quiser vir a mim, vem!” Ele o fez.
Outro convertido, este novamente a partir do Oriente Médio, disse que ele estava deitado na cama com uma dor de cabeça muito forte. A figura branca com uma aparência maravilhosa, pacífica, apareceu e colocou as mãos sobre sua cabeça três vezes, e na manhã seguinte a dor de cabeça que era incurável até então, ​​havia cessado.
Um homem do oeste da África viu um religioso muçulmano no inferno, e um pobre cristão, que não podia mesmo dar esmolas, no céu. A voz explicou que o ponto decisivo não foi a esmola, mas a fé em Jesus.
Enquanto isso, um trabalho missionário entre os Tausugs, das Filipinas, maior grupo muçulmano daquele país, relata que um número de muçulmanos fiéis “viu Jesus” em seus sonhos após o Ramadã (mês em que os muçulmanos praticam um ritual de jejum). Um homem sonhou com Jesus matando um dragão enorme em um duelo e no dia seguinte teve o mesmo sonho, o que o levou a conhecer o Evangelho.
Um membro do povoado Yakan, na Província Basilan sonhou que o Profeta Maomé não podia olhar para Jesus no olho. Quando ele disse seu primo, um cristão, do sonho, seu primo lhe disse que o sonho significava que Jesus é maior do que Maomé.
Há histórias de guerra espiritual. Há relatos da Turquia. Há histórias de curas milagrosas. Há histórias do Iraque. Uma equipe que pertencem aos “Atletas em Ação”, um movimento de atletas missionários, relatou a partir de sua visita às repúblicas da Ásia Central do Turcomenistão e Quirguistão, que “uma das experiências mais interessantes da viagem foi para ouvir um grande número de pessoas dizendo como eles tornaram-se cristãos”. Anteriormente, eles haviam sido ateus ou muçulmanos. Alguns nos contaram como Deus havia falado com eles em sonhos. Outros nos contaram como eles tinham tido dores de cabeça por dias depois de ouvir sobre Cristo. Logo que decidiram tornar-se cristãos, a dor de cabeça havia passado. Uma mulher nos disse que na noite em que ouviu falar de Jesus, nada aconteceu até que ela foi dormir. Enquanto ela dormia, ela teve um sonho terrível, no qual uma figura satânica disse a ela “Você nunca vai escapar de mim”, porém agora ela também se tornou uma cristã.
Existem inúmeros relatos de que muitos dos Berberes que vivem nas montanhas da Argélia estão vindo a Cristo através de sonhos e visões semelhantes, formando células e igrejas, em sua maioria subterrâneas. Ahmed Ait Ben Youcef, um berbere nativo que atualmente vive no exterior, disse que encontrou Cristo no caminho que parece típico para berberes islâmicos anteriormente: “nós berberes sempre acreditamos em Deus, mas muitos o procuram à sua própria maneira, sob a pressão dos árabes islâmicos. Jovens ansiavam pelo caminho certo para nossas vidas e oravam a Deus para orientação. Um dos meus amigos morreu em um acidente de trânsito. Na noite seguinte, sonhei que ele, um outro amigo, e eu nos dirigíamos a uma cidade brilhante, rodeada por uma parede branca. Nesse sonho, meu amigo nos disse que agora ele vivia lá”.
Um muçulmano egípcio estava lendo os Evangelhos, e de acordo com mais um relatório ele tinha acabado de chegar a Lucas, Capítulo 3, quando um vento forte varreu a sala e uma voz disse: “Eu sou Jesus Cristo, a quem você odeia. Eu sou o Senhor que você está procurando.” Ele decidiu seguir a Jesus naquele dia.
Os relatórios são difundidos de tal forma que sites inteiros são dedicados a tais histórias – embora muitas vezes tomem o cuidado de manter o anonimato. Uma fonte bem informada, que por razões óbvias permanece não identificada, relata que um ex-islâmico “Imam” ou líder espiritual levou 3.000 muçulmanos para Jesus, tendo ele chegado a Cristo através de sonhos, em que um homem branco dizia-lhe para estudar a Bíblia. O método desse homem é simples: em uma conversa, ele diz aos outros: “você já viu um homem branco em seus sonhos recentemente? Se eles não tiverem visto, ele lhes diz: eu só estava me perguntando. Obrigado. Se responderem positivamente, ele continua perguntando se eles estão interessados ​​em aprender quem este homem branco é. E quem não está interessado na identidade de uma pessoa misteriosa que aparece em seus sonhos? O ex-Imam, em seguida, mostra-lhes várias passagens da Bíblia em que um homem branco vestido é mencionado, explicando: “Isso é Jesus. Ele quer falar com você, porque Ele quer que você o siga”.
Muitos muçulmanos foram preparados para em caso de encontros sobrenaturais, e aceitarem o convite. Algum tempo atrás, Bill Bright, diretor do “Campus Crusade”, escreveu que “estavam vivenciando um fenômeno surpreendente. Muçulmanos em particular, estão tendo sonhos e visões confirmando a realidade de Cristo. Depois de um programa de rádio informaram que Jesus havia aparecido para muitos muçulmanos em um sonho e havia dito a eles: ‘Eu sou o caminho’. A estação de rádio recebu milhares de cartas de muçulmanos no norte da África e do Oriente Médio, em que os ouvintes disseram que de repente tinham entendido sonhos anteriores. Eles, então, queriam mais informações sobre Jesus”.