Esta foi a sua vida

Biblia

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Exegese de Lucas 15. 16

Exegese de Lucas 15. 16
Bolotas” (Almeida Revista e corrigida)
Alfarrobas” (Almeida Revista Atualizada)




Pr.  Ayjalon da Silva




O termo bolotas tem tido as mais estranhas explicações. O que eram então bolotas (ARC), ou (alfarrobas) (ARA) que o filho prodigo faminto desejava comer e ninguém lhas dava? Explico isso de uma vez por todas para os professores e alunos de teologia.

Trata-se da vagem da alfarrobeira, uma arvore de campo, nos países do Oriente Médio. Seus nomes cientificam para os botânicos é caratônia silíqua. Os árabes chamam-na kharrub.

A árvore é de bom porte, de bela aparência, podendo atingir 12 metros de altura. Não tem espinhos. A madeira é vermelha, dura e usada em marchetaria, isto é, trabalho de embutimento de madeira, feito profissionalmente por marceneiros. As folhas aparecem aos pares, de cores escuras, sempre verdes, Lustrosas e alongadas.

Os galhos produzem vagens que amadurecem de maio a agosto, as quais podem atingir mais de um palmo de comprimento por até quatro centímetros de largura. São achatadas e muitas são retorcidas, parecendo chifre de carneiro, daí chama-se no original keretion (Lc 15.16), que quer dizer chifre. As vagens contêm de 5 a 15 sementes envolvidas numa polpa adocicada e de cheiro agradável. São usadas como alimento, principalmente de bois, cavalos e porcos; estes, inclusive, comem também as sementes. A polpa é também consumida pelo povo mais pobre. Crianças gostam dela. As vagens ou alfarrobas podem ser encontradas em certos mercado orientais e também em casas de produtos medicinais da flora. Do cozimento da vagem resulta um caldo adocicado, tipo mel, uso diverso. Fazem-se também doces da polpa da vagem.